Em setembro de 2015 os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, conhecidos como ODS, foram lançados. Eles fornecem uma estrutura para acabar com a pobreza e reverter os impactos humanos para um planeta mais sustentável até 2050. Os ODS pedem a colaboração entre todos os setores, privado, público, das bases e do governos.

O Programa HSBC pela Água é um programa de cinco anos de $100 milhões, junto  com o Earthwatch, WaterAid e WWF além de mais de 60 projetos comunitários locais em todo o mundo. Ele fornece e protege fontes de água, informando e educando comunidades carentes, permitindo que as pessoas prosperem e impulsionando o desenvolvimento econômico em todo o mundo.

 

Segue abaixo algumas maneiras pelas quais o Programa HSBC pela Água está ajudando a alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU:

 

Globalmente, o Programa HSBC pela Água deu a mais de um milhão de pessoas acesso à água potável, e a mais de dois milhões de pessoas saneamento com o WaterAid.

 

Com o apoio do Programa HSBC pela Água Isla Urbana, no México, está comprando materiais de lojas locais e treinando pessoas para construir e instalar os sistemas de captação de água da chuva. Isso assegura o abastecimento de água sustentável as comunidades de baixa renda. As comunidades economizarão um número estimado de 12.000 horas gastas carregando água, além de renda gasta em água.

 

1.824 km de rios e 537.239 hectares de zonas úmidas foram protegidos pelo WWF por meio do Programa HSBC pela Água.

 

O Saneamento e Higiene para Favelas Urbanas (WASH-US), financiado pelo Programa HSBC pela Água, está coletando mais de 13.000 litros de água da chuva todo ano e usando uma estação de tratamento de biogás movida a energia solar que torna a água segura para beber. A incidência de doenças causada e transmitidas pela água suja está diminuindo e as comunidades são treinadas para administrar, manter e gerar receitas a partir das instalações, ganhando habilidades valiosas e um senso de propriedade. O projeto ganhou o Prêmio Melhores Práticas da Água das Nações Unidas por sua utilização de energias renováveis para fornecer água potável e saneamento.

 

O Programa HSBC pela Água está apoiando o programa Aardhrabhoomi Zonas Úmidas para a Vida do WWF-Índia, que foca na conservação do rio e no rejuvenescimento das zonas úmidas. Como parte do projeto Aardhrabhoomi, o WWF-Índia assumiu a conservação de duas zonas úmidas periurbanas próximas a Bangalore, apoiando mais de 20.000 pessoas e vários habitats,

 

Malta é classificado como um dos países com o menor número de recursos hídricos do planeta.  O Governo de Malta está executando uma campanha 'Catch the Drop’ para promover a conservação da água em um dos países mais secos do mundo. Em 2013, o Programa HSBC pela Água começou a financiar a iniciativa, desenvolvendo-a em uma campanha ambiental e educacional nacional de três anos. Em apenas um ano 19.438 estudantes foram abordados, e a campanha pretende chegar a cada aluno do país — cerca de 50.000 no total.

 

O gerente de sustentabilidade empresarial do HSBC, Josef Camilleri diz: "O Programa HSBC pela Água em Malta está atingindo dois objetivos fundamentais: o aumento da sensibilização sobre a conservação da água entre os estudantes de Malta e Gozo, e o envolvimento dos alunos em projetos de água incentivando seu desenvolvimento como embaixadores pró-ativos para a conservação da água e a sustentabilidade ambiental".

 

Mais de 8.000 funcionários do HSBC tornaram-se Líderes de Ciência Cidadã, com as habilidades e ferramentas para monitorar sozinhos a qualidade da água como parte do maior programa de monitoramento de água doce da ciência cidadã, o FreshWater Watch. Os 8.000 Líderes de Ciência Cidadã, também usam seus conhecimentos sobre o desafio global da água para reduzirem suas pegadas hídricas através do FreshWater Watch do Earthwatch.

 

A Fundación Cruzada Patagónica conseguiu melhorar o acesso e a governança da água doce para mais de 4.000 pessoas que vivem e trabalham na região de Mapuche, Argentina. Práticas rurais sustentáveis, tais como sistemas eficientes de irrigação, e o apoio as mudanças estruturais com a educação formal e não-formal de crianças, jovens, adultos e organizações locais de comunidades rurais estão se beneficiando de uma mudança duradoura e sustentável."

 

Bangladesh é um dos países que mais produz chá no mundo, "nós criamos um exemplo positivo e a mentalidade dos proprietários das plantações de chá está começando a mudar. Os produtores vizinhos de chá estão levantando sua voz e aumentando as demandas, por isso temos esperança de que o modelo que criamos continuará mesmo que não estejamos lá."

Imrul Kayes Muniruzzaman, Diretor de Captação de Recursos e Aprendizagem, WaterAid Bangladesh.

 

A agricultura intensiva e a super exploração dos recursos hídricos está ameaçando muitos ecossistemas. A WWF está trabalhando com comunidades de pescadores no Mekong para desenvolver modos de vida alternativos que diversificam a renda e afastam-se da excessiva dependência da pesca.

 

Líderes de Ciência Cidadã do HSBC estão monitorando a qualidade da água em mais de 30 cidades em todo o mundo. Pesquisadores da Earthwatch analisaram dados de Vancouver, Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba e descobriram que 86% dos 150 córregos pesquisados sofriam com os níveis excedentes de limite de nutrientes para a eutrofização, o que pode levar à redução da biodiversidade e à morte dos peixes. A pesquisa também descobriu ligações entre o uso do solo e a qualidade da água, isso ajudará a informar a gestão da terra.

Water Stories

American photographer Mustafah Abdulaziz presents images from an ongoing study of the global water crisis

Find out more